Justiça e Cidadania - Wálter Maierovitch show

Justiça e Cidadania - Wálter Maierovitch

Summary: Discussão de temas ligados a conflitos internacionais, terrorismo, crime organizado, direitos humanos e civilidade.

Join Now to Subscribe to this Podcast

Podcasts:

 Jair Bolsonaro e Marco Aurélio Mello erram ao falar sobre o STF | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:31

O ministro disse que não quer Sérgio Moro no Supremo, soando soberbo e antiético, já que não compete a ele escolher ou referendar um ministro. O presidente disse que quer um ministro 'terrivelmente evangélico', esquecendo que o país não é teocrático, nem ateu, nem confessional, mas laico.

 'Não é moral indicar um amador que só está sendo cogitado por ser filho do presidente' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:52

Wálter Maierovitch faz uma análise da indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada dos Estados Unidos. 'Bolsonaro apresentou os cinco brasões ao sustentar a escolha do filho, que é um escrivão de polícia de profissão original e está no seu primeiro mandato de deputado federal'. Maierovitch acrescenta que é 'um filho que está a poucos meses na presidência de uma inexpressiva Comissão de Relações Exteriores da Câmara'. Bolsonaro sustenta que a indicação do filho é 'legalmente viável'.

 'Com a liminar do Toffoli, criminosos poderosos vão nadar de braçada' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:10:31

Na sua coluna desta quarta, munido de uma confessa indignação, Maierovitch recorre a Dom Pedro II, que tinha sonho de criar uma Suprema Corte de modelo norte americana no Brasil de 1889. Não deu tempo. Ela só viria na Nova República. 'Ontem, com a canhestra liminar do Toffoli ficou claro que nem sempre o Supremo faz a constituição e os tratados internacionais funcionarem'. Acompanhe o comentário na íntegra.

 'Dallagnol e Moro se resumem a negar a autenticidade das mensagens' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:02

Wálter Maierovitch destaca que Deltan Dallagnol se nega a entregar o celular onde ainda estariam gravadas as conversas que ele teve com o então juiz Sérgio Moro. Desta forma, depois de comparadas as falas com as conversas vazadas, a questão da autenticidade das mensagens do 'The Intercept' estaria resolvida. 'Moro usa o mantra de que não vê nada demais no teor das mensagens'.

 Os senhores da lei, só que... acima da lei | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:41

Em Curitiba, o ministro do STF, Edson Facchin, proferiu a seguinte frase, numa lição de grande mestre: ninguém está acima da lei. Talvez tenha se esquecido que alguns de seus pares no Supremo pairam, sim, acima das leis, quando prejulgam, falam fora dos autos, falam com governador acusado de crime... Maierovitch destaca levantamento do Uol que mostra que 48 juízes e um ministro do STF que foram premiados por práticas ilícitas.

 'Revisão criminal é o derradeiro remédio para se buscar uma absolvição para Lula' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:03

Wálter Maierovitch explica que, como o ex-presidente não teve sucesso em três instâncias, a defesa do ex-presidente busca novas provas. A prova nova seria a parcialidade de Sérgio Moro revelada pelo 'The Intercept' e a imaginada coação de Léo Pinheiro, que foi desmentida.

 Indultos de Michel Temer a mensaleiros avacalharam condenações da Justiça | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:09

Contrariando o princípio constitucional da moralidade e também orientações da ONU em combate à corrupção, presidente insistiu em extinguir penas de corruptos condenados. Eles se livraram não apenas de tempo de prisão, mas também de multas milionárias determinadas para o ressarcimento dos cofres públicos

 'Gilmar devolveu o processo apenas para propor a soltura de Lula' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:00

Na análise de Wálter Maierovitch, se a proposta de soltura do ex-presidente tivesse vingado, o processo voltar para Gilmar Mendes. "E, com Lula solto, quando Gilmar voltaria a colocar esse processo em mesa julgadora de novo?", questiona. O jurista conclui, então, que Lula ficaria refém de Gilmar Mendes.

 'Compete à Aeronáutica verificar se a FAB virou um expresso da cocaína' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:58

Wálter Maierovitch fala sobre os 39 quilos da droga encontrados com um sargento da Força Aérea Brasileira, que acompanhava a comitiva de Jair Bolsonaro ao Japão. O comentarista destaca que o sargento já acompanhou três presidentes em 29 viagens e que deve ser apurado se ele fazia o papel de 'mula'. Maierovitch também fala sobre a decisão da Justiça de autorizar férias a um senador que cumpre pena em regime aberto.

 'A lambança de Gilmar Mendes' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:36

Dois habeas corpus de Lula entraram no cenário nesta terça. 'O primeiro foi uma grande bobagem, um assunto totalmente ultrapassado', opina Maierovitch. O segundo, Gilmar 'enrolou, enrolou e não votou', dizendo que não haveria tempo, e propôs soltura provisória.

 'Juiz pode conversar publicamente com as partes; por mensagens privadas não' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:27:19

Wálter Maierovitch analisa a audiência na CCJ com o ministro Sergio Moro. O comentarista afirma que não existe ilegalidade se a conversa de um magistrado com as partes do processo for conduzida de forma pública. 'No início da denúncia, o ministro dizia que as mensagens eram reais, depois mudou de discurso', afirma Maierovitch.

 Dependendo do tempo para se refazer processos da Lava-jato, aumenta o risco de prescrição | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:09:57

Wálter Maierovitch fala sobre a troca de mensagens atribuídas ao então juiz Sérgio Moro e ao procurador da Lava-jato Deltan Dallagnol. Ele afirma que, se for reconhecida a falta de imparcialidade de Moro, há riscos que processos como o de Lula possam retroagir ao recebimento da acusação. Ou seja, o ex-presidente deixaria de ser réu. Ele afirma, entretanto, que é um "gigantesco erro avaliatório" achar que os erros de Moro e Dallagnol, se provados, farão a Lava-jato virar pó.

 Entre santos casamenteiros e um 'bafon' brasileiro - só que em Paris | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:21

Maierovitch vai até Valentino, o santo padroeiro dos enamorados, para se inspirar na coluna desta quarta. Ele aproveita a época em que, no Brasil, se comemora outro santo, o Antonio, para falar de fatos criminosos relacionados ao anti-herói - ou ao anti-romântico. Um futebolista que 'encomendou' mulher pela internet, recebeu-a em Paris e ambos protagonizaram um 'bafon' de quinta categoria. Ele discute a territorialidade do suposto crime e outros desdobramentos da história.

 'Toffoli na presidência do Supremo não para de perpetrar bizarrices' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:09:37

Wálter Maierovitch falou sobre ele ter declarado disposição de assinar um pacto pelo Brasil. Como presidente do Supremo, ele representa os demais ministros. Sem consultá-los, ele promete assinar o pacto pelo Brasil com outros chefes de Poderes. O Toffoli não está constitucionalmente autorizado a celebrar pactos que podem ser vistos como comprometedores da independência do Judiciário e dos próprios ministros do Supremo.

 'Dura lex, sed lex' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:47

Comercial antigo de um produto chamado gumex tomou emprestada a expressão latina de uso corrente na justiça. Eis que o ex-presidente Lula quer sair do regime fechado com base justamente no Dura lex, sed lex, que significa 'a lei é dura, porém, é a lei'. Mas Lula quer pular direto do regime fechado para o sistema aberto. Resta saber se é possível esse salto.

Comments

Login or signup comment.