Justiça e Cidadania - Wálter Maierovitch show

Justiça e Cidadania - Wálter Maierovitch

Summary: Discussão de temas ligados a conflitos internacionais, terrorismo, crime organizado, direitos humanos e civilidade.

Join Now to Subscribe to this Podcast

Podcasts:

 No Rio, o ímpeto retrógrado da censura bem ao nível Idade Média | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:25

Comentarista vai até a idade Média, no século XVI, mais precisamente ao Concílio de Trento, para lembrar uma época de censura e caça às bruxas. Para isso, conta sobre o veto a obras do escultor Michelangelo, alvo de perseguição. Adiantando uns bons séculos na história, Maierovitch aporta na Bienal do Livro do Rio, onde ela, a censura, deu suas caras e provocou reações fortes. Segundo ele, ‘o bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, que é prefeito do Rio, teve o mesmo ímpeto retrógrado’ que aquele da Idade Média. Só que o alvo, agora, foram os gibis da série ‘Vingadores - cruzada das crianças’, revistas expostas na Bienal do Livro, que o prefeito quis censurar.

 'Não dá para deixar passar a manifestação golpista de Carlos Bolsonaro' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:06

Wálter Maierovitch analisa declaração do vereador do Rio, filho do presidente do país, Jair Bolosnaro. O comentarista acredita que Carlos espera que o pai encontre uma brecha para colocar em prática a orientação do 'guru' Olavo de Carvalho e dar um ministério para cada filho.

 'A melancólica saída da procuradora Raquel Dodge' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:39

Com o fim do mandato, a procuradora-geral da República deixa o cargo em duas semanas. Wálter Maierovitch destaca que ela já tinha começado muito mal. Antes de ser escolhida, ela foi visitar o então presidente Temer à noite, na residência oficial, sem agenda. Ontem, seis procuradores em protesto contra a Dodge deixaram suas designações junto à Lava-jato para casos de foro privilegiado. Segundo Maierovitch, pelo que corre, para manter o apoio de Maia e Toffoli para a recondução a chefia do MPF, ela teria na delação de Léo Pinheiro privilegiado Maia e o irmão de Toffolli, quando prefeito de Marília'.

 Bolsonaro quer suplantar D. Pedro II, mas o imperador não chegava a tanto | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:05

'O presidente precisa ser avisado de que o indulto não é uma esponja. Ele não apaga a condenação e seus efeitos, como a perda da função pública, por exemplo', esclarece Wálter Maierovitch.

 Segunda Turma do STF promoveu um 'contorcionismo jurídico constitucional' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:16

Só de ficar atento ao voto de três ministros do Supremo, Edson Fachin teve torcicolo. Mas ele não se deu por vencido. Após ver que a condenação do ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendini havia sido cancelada, enviou o caso para o pleno da Corte. Com a decisão da Segunda Turma, outros 143 condenados graúdos, só pela Lava-jato, podem ter condenação anulada, como é o caso do ex-presidente Lula.

 Bolsonaro está dando motivos para ser interditado | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:35

Wálter Maierovitch explica que esse é o 'remédio que se ministra em razão da incapacidade mental de uma pessoa'. O comentarista relembra declaração pública do presidente, que afirmou não ter dinheiro para combater incêndios na Floresta Amazônica; logo depois, ele desprezou verba internacional e criou rixas com líderes de outros países.

 Projeto de Lei de Abuso de Autoridade 'não tem potencial para servir de instrumento de vingança' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:38

Wálter Maierovitch disse que são exageradas as críticas e os protestos contra o projeto de Lei de Abuso de Autoridade. O projeto está para sanção ou veto presidencial. ‘Me parece estar ocorrendo uma tempestade em copo d’água. O projeto aprovado não é o fim do mundo como vem sendo pintado e nem será uma porta aberta para a impunidade’.

 'Witzel foi a imagem viva do desequilíbrio e ignorou duas tragédias' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:09

Wálter Maierovitch analisa a reação do governador do Rio ao chegar no local do sequestro que parou a ponte Rio-Niterói. O comentarista afirma que não tem o que comemorar quando a política de segurança pública dá sinais de fracasso e um jovem com depressão perde perde a vida no mesmo momento.

 'Poder moderador subiu à cabeça de Toffoli' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:07:22

Wálter Maierovitch destaca que, durante entrevista à revista Veja, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, chegou a dizer que irá soltar Lula de 'sopetão' para evitar manifestações. 'Talvez por meio de outra esdrúxula liminar do tipo que o Toffoli concedeu a Flávio Bolsonato, em um plantão judiciário que só existe para atender casos urgentes'.

 'Imparcialidade é a principal garantia oferecida pela Justiça em país desenvolvido' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:23

Wálter Maierovitch questiona a fiscalização do trabalho de Deltan Dallagnol. Segundo o comentarista, o Conselho Nacional do Ministério Público Federal chamou a responsabilidade sobre o teor das mensagens atribuídas ao procurador para si.

 'Supremo precisa de um freio de arrumação' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:09:21

Wálter Maierovitch destaca que os ministros Toffoli e Moraes são responsáveis por um 'genérico e policialesco inquérito'. Isso para apurar, segundo portaria de Toffoli, fake news, ameaças e até crimes contra a honra’. Segundo Maierovitch, esse inquérito foi instaurado e prossegue ao arrepio da Constituição e da lei processual. O inquérito aponta como vítimas ministro do Supremo e seus familiares. Ele ressalta que um inquérito não pode ser conduzido por autoridade judiciária. O ministro pode apenas ordenar a instauração do inquérito. 'Os julgadores não apuram, não investigam, apenas julgam e com imparcialidade'.

 'Se Themis se olhar no espelho, vai se ver desfigurada e sem a venda da imparcialidade' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:28

Wálter Maierovitch usa a imagem da deusa da justiça para comentar as decisões do dia envolvendo o ex-presidente Lula. Juíza de Curitiba não esperou nem a decisão sobre o habeas corpus para mandar o petista para o presídio de Tremembé, em SP. O STF barrou a decisão, 'acertando em cheio'.

 'Juridicamente Bolsonaro cometeu crime de responsabilidade sujeito a impeachment' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:09:55

Wálter Maierovitch diz que nos episódios envolvendo a jornalista Míriam Leitão e o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, Bolsonaro faltou com decoro. 'Ele agiu sem decência e não teve pudor', disse. Maierovitch comenta que Bolsonaro colocou em dúvida a 'verdade estampada' em documentos oficiais sobre o que acontecia nos porões da ditadura, e, com isso, mostra que desconhece o trabalho da Comissão da Verdade, reconhecido internacionalmente.

 As surpresas do plantão judiciário do Dias Toffoli | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:36

Por tradição, plantão judiciário do STF mantém apenas um juiz, que fica lá para casos emergenciais no período de recesso, como o mês de julho. O juiz fica de plantão para atender questões urgentes, que podem gerar dano irreparável. Dias Toffoli é o plantonista da vez. Muitos se perguntaram o que ele poderia aprontar no plantão judiciário. A previsão era que ele se contivesse e não desse nenhuma liminar surpreendente. No entanto, houve surpresas.

 'A urgência informa e rege o plantão judiciário' | File Type: audio/mpeg | Duration: 00:08:04

Wálter Maierovitch diz que Toffoli criou confusão ao conceder liminar em favor de Flávio Bolsonaro. Ele explica que em época de férias coletiva o Supremo funciona apenas para atender emergências, uma espécie de pronto atendimento para que não ocorram danos irreparáveis. O caso de Flávio Bolsonaro não era urgente. 'Nunca na história judiciária brasileira, um plantão judiciário concedeu liminar a um caso sem urgência e a causar um tumulto de tal ordem'.

Comments

Login or signup comment.