#312 Compreender isso te trará felicidade




Sobre Budismo show

Summary: Clique aqui para aprender o Budismo do 0, passo a passo Versão em texto do Podcast: Olá, tudo bem? Aqui é o Leonardo Ota! Eu quero te contar uma história. Eu moro em um condomínio, e esse mês eu já fui solicitado para tirar o carro da minha vaga de garagem pelo menos umas cinco vezes – só que eu lembre! Isso porque o pessoal da manutenção precisou pintar a parede que fica próxima ao carro, então para não sujar meu carro, eles chamaram “Léo, vem aqui por favor, pra tirar seu carro e colocar numa outra vaga, a de carga e descarga”. Tudo bem, eu tiro.  Houveram várias manutenções no condomínio neste mês. Uma parte dos fios da internet do condomínio passa embaixo da minha vaga, a tampa é bem na minha vaga. Então volta e meia me ligam para tirar o carro, mas esse mês especificamente foram várias vezes, foi até engraçado. Porém, tem hora que isso gera um incômodo, porque eu estou trabalhando, fazendo minhas coisas, aí o pessoal da  portaria, da manutenção, liga “Léo, tira o carro para fazer tal coisa”, isso gera um desconforto. Teve até uma ocasião esse mês que foi desagradável. Pediram para eu tirar o carro porque estavam fazendo manutenção da internet , seria por uns três dias. Então, peguei meu carro, tirei – porque me pediram – e coloquei na vaga de carga e descarga. Aí, às 7:40h da manhã – não eram nem 8:00h, que geralmente é horário comercial – o síndico me liga: “Oi, bom dia!” “Bom dia!” “O senhor é proprietário do carro tal?” “Sou.” “Pois é, o seu carro dormiu na vaga de carga e descarga.” Ai eu pensei “vocês decidam né, porque me pediram para tirar o carro e agora o síndico fica me ligando toda hora”. Mas eu não disse isso, eu expliquei para ele: “Não, porque me ligaram da portaria já faz alguns dias, me pediram para tirar o carro da minha vaga e colocar na carga e descarga.” “Quem é que pediu?” “Nao sei, me ligaram da portaria e eu coloquei.” “Ah tá, obrigada pela informação”. Então, isso foi uma coisa que me gerou desconforto, porque tive que parar meu trabalho para resolver. Às vezes estou fazendo uma coisa importante, gravando conteúdo, e aí toca o interfone e eu tenho que descer lá, uma vez ou duas vezes tudo bem, mas aí seis, sete vezes, já começa a ser um incômodo. Da última vez, que foi dias atrás, aconteceu a mesma coisa, e aí eu desci lá para resolver isso. Então me veio um insight na mente: ”seria um bom conteúdo para o podcast”.  O que eu compreendi nesta situação O título desse podcast é “Se você compreender isso você vai ser mais feliz”, porque você sabe o que eu compreendi?  Eu compreendi que nós, de forma geral, não aceitamos e não compreendemos a vida como ela é, com seus altos e baixos. Um dia as coisas estão bem, nos outros não estão, um dia você vai estar tranquilo, no outro você vai ter que resolver várias coisas.  Eu desci do meu apartamento refletindo sobre isso. Eu sou praticante leigo, não sou mestre nem monge, e eu trago minhas experiências aqui para você ver como aplicar o Dharma no dia a dia, e compreender que as coisas mudam, as coisas são cíclicas – essa é primeira verdade do Buda. Isso vai te trazer mais felicidade, mais tranquilidade, porque você sabe que essas coisas vão acontecer. No dia a dia é assim mesmo: tem dias de altos e baixos, tem dias legais, dias tranquilos, mas terão dias que serão agitados. E o que eu quero compartilhar com você é sobre aceitação. Nós não aceitamos as coisas como elas são.  Vamos supor que eu não quisesse tirar o carro, e eles iriam pintar o muro, que fica bem na frente do meu carro. O que iria acontecer é que cairia tinta no meu carro. Ao invés de pensar de forma negativa assim: “nossa, vou ter que ir lá tirar o carro, esse mês já fui dez vezes lá tirar o carro”, eu poderia pensar assim: “poxa, que legal que eu vou tirar o carro porque eles estão cuidando do condomínio, estão pintando as paredes, estão deixando mais bem si